ADMIRÁVEL MUNDO NERD: o Batman Pornográfico e outros dicas de Filmes, Quadrinhos e Livros

O Batman pornô, o Batman de Neil Gaiman, Indiana Jones, James Bond, Woody Harrelson como super-herói e outras recomendações divertidas para a sua semana

Maurício Muniz

Enquanto o AntiPrograma não volta (será que volta?) e enquanto todos os outros membros desta bagunçada equipe andam ocupados demais pra mandar suas colunas (eu tenho a desculpinha furada de que estava escrevendo um livro…! Mas falaremos sobre isso em outra hora), resolvi transformar a minha coluna num espaço pra dicas de filmes, HQs e livros legais. Então vamos começar com estes abaixo!

BATMAN: WHATEVER HAPPENED TO THE CAPED CRUSADER, de Neil Gaiman e Andy Kubert (DC Comics): A história já saiu no Brasil em duas edições da revista Batman mas, sem desmerecer o trabalho da Panini, vale muito a pena lê-las nesta edição encadernada americana com papel e impressão impecáveis. Gaiman, famoso entre os leitores de HQ por seu trabalho no eterno Sandman, aqui cria um conto fora da continuidade normal que mostra os amigos e inimigos de Batman indo a seu funeral e compartilhando lembranças sobre ele, em histórias onde, ao final, o herói sempre morre. É curioso que essa “história imaginária” seja uma das melhores do Homem-Morcego em muito tempo, com Gaiman deixando claro todo o amor que tem pelo personagem. A arte de Andy Kubert, sempre competente, ajuda a abrilhantar a história. Como bônus, a edição ainda traz outras histórias curtas de Batman escritas por Gaiman ao longo dos anos, inclusive uma sobre a Hera Venenosa que – se não me engano – é inédita no Brasil. Sabe aquela expressão, “imperdível para os fãs”? Pois é… A-

COMMON GROUNDS, de Troy Hickman, Dan Jurgens, George Perez, Chris Bachalo, Sam Keith, Carlos Pacheco, Angel Medina e outros (Image Comics/Top Cow): Então você nunca tinha ouvido falar dessa série que reúne tantos nomes famosos dos quadrinhos? Common Grounds começou como um gibizinho xerocado criado por Hickman e um amigo desenhista, que caiu nas graças da Image. A editora resolveu pegar todos os roteiros originais e contratar grandes desenhistas para reinterpretá-los. O resultado foi uma minissérie e, depois, este encadernado que mostra uma rede de lanchonetes chamada Common Grounds que é frequentada por super-heróis e supervilões. Algumas histórias são passadas na lanchonete, outras mostram os personagens contando algumas de suas aventuras. Como toda antologia, as histórias variam em qualidade, mas a maioria vale a pena. Entre os destaques: uma história desenhada por Carlos Pacheco, onde um herói e um vilão de encontram por acaso anos após uma tragédia; um desenhada por George Perez, sobre uma equipe de heróis que se encontra para uma festa depois de décadas; e outra sobre uma garçonete que é raptada por um assassino em série. Prato cheio (trocadilho intencional) pra quem curte super-heróis. B

INDIANA JONES ADVENTURES – VOLUME 01, de Philip Gelatt e Ethen Beavers (Dark Horse Comics): Se aventura tem nome, continua sendo o do arqueólogo mais heroico do cinema. Lançado na época do  filme Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, em 2008, esta edição de formato reduzido da Dark Horse se passa em 1930 e mostra Indiana Jones, seu amigo Marcus Brody e uma pesquisadora inglesa à procura de um misterioso artefato nórdico através do mundo, viajando pela Suécia, pela Inglaterra e pelo Marrocos. O inimigo da vez é a já tradicional ameaça nazista, além de alguns outros personagens misteriosos. Apesar de mais direcionada ao público adolescente, a aventura é divertida e traz várias referências à série cinematográfica, como a presença do francês Belloq ao lado dos vilões. Para os fãs do herói – e até pra quem não é tão fã assim – vale a leitura. C+

MY WORD IS MY BOND, de Roger Moore (Michael O’Mara Books): Para muitos (inclusive para mim), o inglês Roger Moore foi o melhor James Bond do cinema, com seu jeito de quem estava sempre se divertindo com as missões secretas que recebia. Discussões à parte, não dá pra negar a importância de Moore nos anais do cinema e da TV de ação. Entre outros, Moore já interpretou Ivanhoé, Sherlock Holmes, o Santo, Brett Sinclair (do cultuado seriado Persuaders) e, claro, 007. E a forma como Moore ganhou esses papéis e curiosidades sobre várias produções das quais participou têm destaque em sua autobiografica. Com o típico bom-humor inglês, Moore conta inúmeras histórias divertidas, critica algumas celebridades (descubra, por exemplo, porque ele não gosta de Jean-Claude Van Damme) e dá uma visão interessante sobre o mundo do entretenimento. Completa o livro alguns álbuns de fotos de bastidores e pessoais de Moore, grande amigo de astros como David Niven e Michael Cane e um relato de Moore – atualmente meio afastado das artes – sobre seu trabalho com a Unicef, que lhe rendeu um título de Cavaleiro do Império Britânico. Para qualquer um que curta cinema, bons “causos” ou gostaria de saber mais sobre um dos caras mais simpáticos do cinema. B

THE ESCAPIST (2008), direção Rupert Wyatt, estrelando Brian Cox, Joseph Fiennes, Damian Lewis e Seu Jorge: Filmes de prisão e de fugas da prisão têm aos montes por aí, mas esta produção inglesa se destaca pelo ótimo elenco e pelo roteiro com algumas interessantes reviravoltas. O grande ator Cox, vilão em X-Men 2, faz aqui Frank Perry, um velho presidiário que descobre que sua filha quase morreu de overdose em duas ocasiões distintas. Desesperado,ele  resolve que vai fugir da prisão para cuidar da moça. Para isso, arma um complicado esquema onde contará com a ajuda de um pequeno grupo de detentos, entre eles o brasileiro Viv Batista (feito por Seu Jorge). Porém, além de precisarem enganar os guardas, Perry e seus amigos também devem se livrar das investidas do violento “dono” da prisão, o gangster Rizza (o sempre muito bom Lewis, de Band of Brothers). Com um clima tenso e um visual sujo e meio deprimente, o filme é uma boa pedida e um ótimo exemplo do surpreendente novo cinema inglês. Infelizmente, a produção ainda é inédita no Brasil, até em mesmo vídeo… o que, hoje em dia, não impede ninguém de ver o filme se realmente quiser, sejamos sinceros. B

DEFENDOR (2009), direção de Peter Stebbings, estrelando Woody Harrelson, Elias Koteas, Sandra Ho e Kat Dennings: Se agora a onda é mostrar os heróis de modo realista no cinema (Cavaleiro das Trevas, Watchmen, Kick-Ass), esta produção independente não faz feio, ainda mais considerando seu baixíssimo orçamento de 3,5 milhões de dólares. Harrelson é um homem com óbvios problemas mentais que, aparentemente influenciado por histórias em quadrinhos, faz um uniforme de segunda categoria e sai pela noite para enfrentar criminosos. Contando com sorte mais do que com habilidade, usando algumas armas improvisadas (um recepiente com vespas furiosas, suco de limão para jogar nos olhos e um porrete da Segunda Guerra Mundial, entre outras) e apelando várias vezes à violência, ele se mete com as operações de um chefão do crime em sua cidade, Hammer City, e as atividades de um policial corrupto. Sua única aliada é uma complicada e jovem prostituta drogada (Dennings, que também estará no filme do Poderoso Thor), que tem informações sobre os criminosos. O espetáculo, como sempre, é de Harrelson, aqui até mais contido do que o normal, em interpretação que lhe valeu o prêmio do Festival Philip Borsos, do Canadá, como melhor ator. Uma visão diferente e interessante sobre os super-heróis. B-

BATMAN XXX – A PORN PARODY (2010), de Alex Braun, estrelando Dale DaBone, James Deen, Lexi Belle e Tori Black: Ok, nós sabemos que este foi o principal motivo pelo qual você entrou aqui. Desde que foi anunciado, este se tornou um dos filmes mais esperados do ano entre os nerds, trazendo uma paródia pornô do velho seriado de Batman nos anos 60. Mas o resultado final decepciona um pouco. A produção é requintada e recria com cuidado os uniformes dos heróis, tomando o cuidado de mudar o bastante em cada um para não receber um processo da DC/Warner/AOL. Os atores também tentam imitar os trejeitos dos atores do seriado, em especial o tal DaBone, que de máscara fica muito parecido com Adam West, e até o ator que faz o Coringa usa um bigode por baixo da maquiagem de palhaço, como fazia Cesar Romero. Mas embora os, digamos, “toques nerds” sejam interessantes, o resto decepciona. A empolgação nas “cenas de ação” quase sempe está no nível normal para uma produção destas, mas a história não empolga. Não, não estou sendo um daqueles caras chatos que quer “pornô com história”, mas também não quero que a primeira meia-hora do filme seja centrada no Charada se divertindo com uma herdeira rica que sequestrou. Mas é isso que acontece, numa sequência interminável que quase implora pra ser pulada. As coisas melhoram próximas ao fim, quando Batgirl entra mesmo em ação, mas até lá haja paciência para aguentar algumas cenas de sexo meio genéricas. Não é preciso muita imaginação pra adivinhar como termina tudo, mas fica faltando algo no climax onde, infelizmente, o elenco parece que já perdeu o pouco pique que tinha. O final deixa a possibilidade de uma continução, o que é bem capaz que aconteça, já que o diretor tem uma propensão às paródias (já fez versões pornográficas de outros seriados, como Jeannie é um Gênio, Barrados no Baile, Happy Days e Star Trek) e as vendas deste Batman XXX parecem ter sido boas no mercado de vídeo dos EUA. Mas a possibildade não nos deixa muito excitado. Vale pela curiosidade. C

Trailer FRACASSO DE PÚBLICO: DESENCONTRO DE TITÃS

5 comentários sobre “ADMIRÁVEL MUNDO NERD: o Batman Pornográfico e outros dicas de Filmes, Quadrinhos e Livros

  1. Caio,

    É compreensível… Ahem, quer dizer…

    E estranho como este é o post mais acessado aqui em meses, mas quase nada comentado. Acho que o pessoal fica sem graça de dizer que ficou interessado no Porno Batman. Santa vergonha, Homem-Morcego? =)

  2. – Lembro de ter lido uma história curta do Gaiman com a Hera em algum Novos Titãs em formatinho, faz muuuito tempo. Preciso comprar esse encadernado, onde você conseguiu? Amazon pra mim não rola, não tenho cartão internacional. Ultimamente eu encomendo pela Livraria Cultura e espero cerca de dois meses pra receber o pedido. É, haja paciência! Dia 28/05 encomendei The Extraordinary Works of Alan Moore e Hypothetical Lizard, e até agora, nada. Sorte minha que o Black Dossier eles tinha em estoque e recebi em dois dias!

    – Agora vou querer ler o livro do Roger Moore, nem que seja só pra saber por que ele não vai com a cara do Van Damme!

    – The Escapist parece bom. Band of Brothers é referência pro trabalho do Damian Lewis, mas naquela série Life ele também dava um show em cada episódio. Pena que só teve duas temporadas. Falando em filmes com visual sujo, já viu um australiano chamado The Horseman? É o melhor filme de vingança desde Oldboy! E o Ink, curtiu?

    – Defendor é legal mesmo. Os potinhos de vespas são a melhor arma que já vi em filme de super-heroi! Tomara que saia por aqui em DVD.

    – Não sabia que já tinha saído o Batman pornô, vou procurar. Não dá pra esperar muita coisa, mas pra nós, nerds, é obrigatório assistir. Hehehe. Já vi o Jornada nas Estrelas XXX e o Dexxxter, dá pra dar umas risadas. O da Jeannie é Um Gênio eu não conhecia, valeu pela dica!

    – AntiPrograma já!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s