Crítica: G.I. Joe – A Origem de Cobra

gijoe_07

Se você também ficou com medo da versão para o cinema dos Comandos em Ação depois que viu o trailer, confira a opinião de Benedito Nicolau sobre a aventura dirigida pelo homem que nos deu o ótimo A Múmia e, ahem, Van Helsing…

Benedito Nicolau

Quase todo garoto teve um G.i. Joe. Eu tive. Só que na minha época era chamado de Falcon. Apenas alguns anos depois descobri que ele era um G.i. Joe.

O meu era da série “olhos de águia”. Usava jaquetão verde, com calça e botas em estilo militar. E tinha barba e cicatriz. Boneco de macho! E ele carregava uma pasta em que vinha uma pistola que, com alguns itens para acoplar, transformava-se em um rifle para matar seus inimigos. É, matar. Ou você acha que ele era um pacifista? Não nas minhas aventuras!

É claro que existiam outros modelos e estilos: pára-quedismos, caça ao tesouro, futurista e por aí vai. Mas todos eram bonecos de macho. Sem a frescura de bonecos como Max Steel, que parece um misto de Go-Go Boy com metrosexual, pronto pra “a-rra-sar” num sábado a noite. O Ken da Barbie parece mais macho que o Max. Deprimente.

Mas voltando aos Joes… Foi nos anos 80 que eles realmente ganharam o mundo. O mundo dos garotos. E um novo nome no Brasil: Comandos em Ação. Ficaram menores, mas ganharam mais armamentos, mais personagens, MAIS armamentos, MAIS personagens e MUITO MAIS armamentos. Não tinha como não gostar. E para completar ganharam uma série em quadrinhos e outra em desenho animado. Se você era criança ou adolescente nessa época era impossível escapar. E escapar pra quê?

Como não gostar de ver toda aquela ação militar. Tiros, explosões e lutas. Tá certo que ninguém morria, mas e daí? Era divertido e é isso o que importa mesmo quando você cresce. Se é que a gente cresce.

E foi nisso tudo que eu pensei depois que assisti o filme G.i.Joe – A Origem de Cobra.Print

Depois do filme, claro, porque durante eu me diverti. E olha que eu achava que ia ser uma merda. Não liguei para buracos no roteiro – sim tem buracos, como todo filme, volto a frisar – nem que ele não era esteticamente tão trabalhado quanto Transformers: A Vingança dos Derrotados ou Exterminador do Futuro: Salvação. Visual não é tudo, o que importa é ser divertido! E o filme é muito. Tudo o que tem de bom nos brinquedos, nos desenhos e nas HQs está ali.

Começando pelos armamentos. No meio do filme eu queria ter pelos menos três aviões, dois helicópteros, uma arma de som, mais uma armadura aceleradora deles. O fino. O legal é ver que o diretor, Stephen Sommers (A Múmia, Van Helsing), fez o dever de casa. Ao invés de inventar armas malucas, ele foi atrás do que esta sendo desenvolvido atualmente e criou uma “versão aperfeiçoada” do que hoje são apenas protótipos. Quem assistia aquele programa do Discovery Channel,  chamado Armas do Futuro, onde o ex-SEAL, Richard “Mack” Machowicz apresentava as armas com as tecnologias mais modernas, vai lembrar de aviões controlados por ondas mentais, armas sônicas e armaduras de combate.

E boa parte dos armamentos mais legais são dos Joes. Os heróis. Todos fortes, todos valentes. Sem frescura. Machos na terra, no ar e no mar.

Claro, temos os vilões. Querem vilões com nomes melhores do que “Cobras”? E é uma cobra naja, ainda por cima! Eu odeio cobras. São nojentas. Mas a Baronesa é um tesão. E que tesão!

Ninjas! Temos Ninjas! São fantásticos. Eles conseguem fazer de tudo e você fica com vontade de ser ninja! Adoro ninjas. E aqui temos os ninjas com os melhores nomes da historia: Storm Shadow e Snake Eyes. Isso é que é nome de ninja! Só os nomes já transpiram testosterona. Você teria coragem de enfrentar ninjas com esses nomes? Eu sairia correndo.

Tudo isso amarrado com bom ritmo, boas cenas de ação e humor pertinente. O filme não para. Não dá tempo pra ficar pensando em falhas de continuidade, contas pra pagar, ou em qualquer outra coisa. Você senta lá e se diverte. Como um garoto. Parece um episódio do desenho animado, uma HQ ou a historia que criávamos quando brincávamos, só que atualizado. Tudo fiel. Tudo simples. Os Cobras querem dominar o mundo, os G.i.Joes vão impedir.

E eu vou assistir de novo.

Nota: 9

PS: Talvez os fãs mais xiitas não gostem, mas isso é problema deles. Recomendo terapia. Ou que aguardem o filme do Max Steel.

24 comentários sobre “Crítica: G.I. Joe – A Origem de Cobra

  1. melhor filme que ja assisti na minha vida!!!
    Efeitos especiais que nunca tinha visto!!

    observação: tenho 18 anos

    suahsuhasuhauhsuha

  2. Também gostei muito do filme. Eu também tinha um Falco. Tentei quebrá-lo várias vezes para ganhar outro mais avançado, mas o boneco era inquebrável. Quanto à crítica fico com a Morelli: a crítica de macho, personagens de macho, atitudes de macho a baronesa é gostosa e os ninjas são cheios de testosterona.

  3. Poxa, muito bom… vou ao cinema com a minha gata conferir!

    Sempre brinquei com os bonecos na minha infancia…
    Boa! adorei a critica!!

  4. O lance é se divertir, com certeza. Mas tá tão forçado que não tem como não se arrepender. Caros fanboys:

    Verdade seja dita. A Paramount escondeu o filme da crítica pois sabiam muito bem que é ruim, e nada de desculpas!
    Clichê extremo. Piadas e trocadilhos nos momentos mais impróprios, referências toscas, e um exagero tão extremo nos efeitos que parece filme infantil. Baixem o torrent, pensem bem antes de gastar dinheiro.

    Agora, se você não liga muito pra isso e quer passar o tempo, vai nessa. Programão pra criançada ou para quem é fã da série.

    Só não perde para o DBE, arg!!!

  5. “O lance é se divertir, com certeza. Mas tá tão forçado que não tem como não se arrepender. Caros fanboys:

    Verdade seja dita. A Paramount escondeu o filme da crítica pois sabiam muito bem que é ruim, e nada de desculpas!
    Clichê extremo. Piadas e trocadilhos nos momentos mais impróprios, referências toscas, e um exagero tão extremo nos efeitos que parece filme infantil. Baixem o torrent, pensem bem antes de gastar dinheiro.

    Agora, se você não liga muito pra isso e quer passar o tempo, vai nessa. Programão pra criançada ou para quem é fã da série.

    Só não perde para o DBE, arg!!!” [2]

    e acrescento q nem pra se divertir dá… filme assim nao rola… besteirol caça-niquel pra fazer dinheiro

  6. Realmente…
    A história em si é boA…o filme é boM…
    Mas os efeitos visuais são horriveiS…
    Parece aqueles filmes dos anos 70…parece ateh q eles amarram os aviões em linhas e ficaram balançando pra dize q tah voandO…
    Na época em q estamos…e temos filmes como Transformers…q faz vc acreditar q um carro vira robO…com aqueles efeitos visuais ótemoS…
    Esse deixo a desejar e muitO!!!

  7. Não tenho vontade de ver esse filme no cinema. Nada pessoal ou implicância da minha parte, até por que com os preços dos ingressos hoje em dia é bom pensar duas vezes antes de embarcar nesse ou naquele blockbuster do momento. Sorte mesmo tem os jornalistas que assistem primeiro e de graça, não? Só me pergunto porque um sujeito como esse que escreveu essa “crítica” tem esse benefício, já que pela qualidade do texto e sua capacidade de análise percebe-se o quão longe disso ele está.
    Talvez o Sr. Benedito Nicolau tenha pedido a um adolescente de 15 anos (no máximo) para escrever no lugar dele. Só isso justificaria o amontoado de inutilidades presentes no texto, algo bem característico de alguém no auge de suas atividades onanísticas.

  8. “Talvez os fãs mais xiitas não gostem, mas isso é problema deles. Recomendo terapia.” huahuhaua muito bom! Gostei da Crítica! ah! já me esquecendo…”Ou que aguardem o filme do Max Steel.” kkkk!!!

  9. Das poucas que tenho a comentar:

    1 – Não divulgaram em fotos, vídeos ou pôsteres o Destro (com máscara) e nem o Cobra (também com A máscara), falharam nisso. O cgi da cara do Destro ficou MUITO RUIM.

    2 – Sim, o filme É bem feito, É violento, É divertido, É sim um filme com JOEs e COBRAs.

    3 – Espero ansiosamente pela(s) continuação(ões), SE houver(em), e que tenha os gêmeos Tomax e Xamot, Zartan com traje de cigana-motoqueiro-sei-lá, a volta de Storm Shadow, os motoqueiros da gangue que servem ao Zartan. E, do lado dos JOE, que venham Gung Ho, Marujo, Bazuca, Roadblock e Flint.

    Ah! Vc notaram a aparição do BRENDAN FRASER como Sargento Geoffrey Stone IV ???? Eu ri.😀

  10. Caro Daniel,

    Um filme como esse TEM que nos fazer todos voltar a ter 15 anos (no máximo!), senão não serve pra nada. Sinto se você não compreende isso.

  11. Concordo, mas eu pensava que essa volta à adolescência só durava enquanto se assistia o filme. Mas obrigado por me avisar que a regressão é permanente e irreversível, pois assim eu evito assistir.

  12. Seria otimo que agora com filme do gijoe , lancassem um filme do falcom!
    porque mesmo sendo a mesma coisa, houve uma epoca que no brasil foi lancado quadrinhos do falcom e ele nao enfrentava o cobra, era mais aventureiro , misto indiana jnes com james bond! poderiam faze -lo imaginen o chuck norris o cara eh o falcom loiro!

  13. GI Joe é um filme até bacaninha, divertido e recomendável, porém, é de doer você passar cerca de 80 minutos admirando a Baronesa, que personagem maravilhososo e em uma transformação desnecessária ser carregada pelo heroi completamente fragilizada, pôrra isto é um chute no estomago.

  14. Eu não sou macho mais adorei o fimel
    carra ele é muito f…
    eu não sou da época dos desenhos e bonecos
    mais cara eu tem que ter continuidade tipo
    G.I joe 1,2,…10,20
    rsrs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s