A Continuação de 300

Sucesso baseado em quadrinhos terá novo capítulo

Eduardo Blando

Segundo os sites IESB e Slashfilm, Zack Snyder dirigirá uma “continuação” para 300, seu filme baseado na graphic novel de Frank Miller. Snyder abriu o bocão sobre 300 durante a sua recente apresentação de 25 minutos de Watchmen.

A continuação será uma espécie de prequel/sequel focada principalmente entre a Batalha de Termópilas e a Batalha de Platéias, duas das maiores guerras entre Grecos e Persas. Ao final de 300, existe o monólogo de Dilios, o narrador da história, que se encontra exatamente na Batalha de Platéias. Entre ambas batalhas existe todo um período de um ano, que seria o foco da continuação.

Vale frisar que Snyder vai esperar que Frank Miller escreva e desenhe toda a história para então a continuação ganhar as telas dos cinemas.

Aguardemos.

Anúncios

4 comentários sobre “A Continuação de 300

  1. Pelo amor de ZEUS, parem de escrever 300 “2”. Na conta do próprio Dilios foram uns 10.000 Espartanos.

    Quem souber a conta correta, por favor, me corrija.

    Mas escrever 300 “2” é muita sacanagem…

  2. Um poqinho di CURTURA pra nóis umano:

    “Chamam-se Guerras Médicas (ou Guerras Medas, Guerras Greco-Persas, Guerras Greco-Pérsicas e Guerras Persas) os enfrentamentos entre os antigos gregos e o Império Persa durante o século V a.C..

    Após a derrota da Lídia frente aos persas (em 546 a.C., provavelmente), as cidades gregas da Jônia passaram ao domínio persa. Em 499 a.C., com o apoio de Atenas e Erétria revoltaram-se, mas foram vencidas entre 497 e 494 a.C..

    Em 490 a.C., Dario (522/486 a.C.) decidiu enviar à Grécia continental uma expedição punitiva. Erétria foi arrasada e saqueada, mas os atenienses e plateenses, chefiados por Milcíades (550/489 a.C.), conseguiram rechaçar os persas na planície de Maratona.

    Xerxes (486/465 a.C.), filho de Dario, comandou dez anos depois (480 a.C.) uma invasão à Grécia em grande escala. Algumas cidades gregas, lideradas por Atenas e Esparta, formaram uma coalização para enfrentar o invasor. Outras, como Tebas, submeteram-se aos persas.

    Inicialmente, os persas venceram os gregos nas Termópilas e em Artemision; a seguir, invadiram e saquearam Atenas. A frota ateniense, porém, comandada por Temístocles (524 a.C./459 a.C.), conseguiu destruir a frota persa em Salamina e mudou o rumo da guerra.

    Meses depois, comandada pelo espartano Pausânias (510/467 a.C.), o exército da coalização grega venceu o exército persa em Platéia e pôs fim à invasão.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s