Crítica: Speed Racer (em áudio)

Os irmãos Andy e Larry Wachowski, diretores da trilogia Matrix, trazem para as telas agora a sua versão para um dos maiores ícones dos anos 60 e 70, o piloto automobilístico Speed Racer, protagonista de uma série animada de grande sucesso. Cheio de efeitos especiais e um visual que tenta emular o do desenho, o filme dividiu opiniões quando teve seu trailer lançado. Mas e quanto ao resultado final?

Os criadores do Antigravidade, Maurício Muniz e Alvaro Omine, fazem sua crítica ao filme ao lado do cineasta Zé Mucinho e do Supervisor de Efeitos Visuais Rick Ramos. Um grande espetáculo ou um barco furado? Conheça a opinião da equipe do Antigravidade nesta crítica em áudio, clicando na imagem acima! Como bônus, veja também o trailer do filme e a abertura do desenho dos anos 60!

O FILME

Speed Racer, um jovem piloto independente, começa a ficar famoso no mundo das corridas graças a seu talento e coragem. Traumatizado pela morte do irmão mais velho, o audacioso Rex, e tentando fazer o melhor por sua família, Speed irá envolver-se em perigosas corridas, enfrentando inimigos implacáveis e desleais, que não hesitariam em matá-lo para conseguir a vitória. Ao lado de Speed em suas aventuras estão a namorada Trixie, seus pais, o irmão Gorducho, o macaco Zequinha e o mecânico Sparky. Para complicar as coisas, Speed passa a receber a ajuda inesperada do misterioso Corredor X, que ele pensa poder ser Rex disfarçado.

O filme é estrelado por Emile Hirsch, Christina Ricci, John Goodman, Susan Sarandon, Matthew Fox e Paulie Litt.

CRÍTICA – Parte 01 (clique na janela abaixo):

CRÍTICA – PARTE 02 (clique na janela abaixo):

TRAILER (clique na janela abaixo):

ABERTURA DO DESENHO ANIMADO (clique na janela abaixo):

15 comentários sobre “Crítica: Speed Racer (em áudio)

  1. Em primeiríssimo lugar, parabéns a voces todos do site. Concordo plenamente
    com todas as críticas , é uma excelente referência pra assistirmos aos filmes!
    Eu já comentei aqui antes que estava meio cético em relação a esse filme,
    calotas lutando espada e tal. Bom, agora a merda já tá feita.
    A propósito, qual seria o carro mai rápido: O Mach 5 do Speed Racer, o Batmóvel do Homem Morcego, ou o Interceptor do Mad Max?
    E mais uma vez, parabéns a todos e vida longa ao site!

  2. Continuando… bem que os caras poderiam fazer o filme da Corrida Maluca,
    aí sim, o barato ia ser lôco ahahahaha…

  3. Sua opinião foi hilária, Maurício. Bom saber que você não gostou do filme, eu já tinha perdido minhas esperanças quando vi o PRIMEIRO trailer do Speed e tinha absoluta certeza que iria me desagradar. Primeiro por terem feito o filme para um público bem infantil (poderia ter sido algo mais juvenil/adulto como Homem de Ferro ou Transformers) e segundo pelo EXCESSIVO colorido (acho que nem filme da Disney tem uma palheta de cores tão ampla!).
    Ademais espero que UM DIA façam um filme decente do Speed Racer (sem o Mach 6 e sem o Emile Hirsch, por favor) e também um filme espetacular do Homem-Aranha sem o Tobey Maguire e a Kirsten Dunst. Abraços a todos.

  4. Critico de cinema é da pior especie , e alem do mais eles não gostam de nada , não ouçam a opinião deles pois o que vale é se voce gostou , esses critico ai eles só falam porcaria , e o filme não vai virar uma porcaria só porque eles não gostaram e falaram que é ruím!!!
    Esses criticos só dão critica quando estão de mal com a vida !!!!
    Se voce Maurico , voce Roberto e varios outros, não gostaram problema é de voces , nao estraguem a diversão dos outros!!!
    SE NÃO GOSTARAM , QUE FAÇAM MELHOR SEUS INGRATOS , QUERO VER SÓ VOCES FAZEREM UMA COISA ASSIM TÃO BEM FEITA COM EXELENTES ATORES E EXELENTES EFEITOS!!!
    Quem fez o filme não trabalhou duro pra ficar ouvindo essas porcarias que não prestam!!!!!!!!!

  5. Caro Vito Corleone,

    Crítico de cinema gosta de um monte de filmes, sim. Basta eles serem legais e divertidos.

    Não sei de onde tirou que, por não termos gostado, estamos estragando a diversão dos outros. Só estamos dizendo o que achamos, não estamos fazendo uma barreira na frente do cinema pra impedir as pessoas de entrarem… se bem que não é má idéia…!

    E, realmente, quem fez o filme não deu duro pra ficar ouvindo essas “porcarias”… ainda mais que os irmãos Wachowski não devem falar patavinas de português e duvido que entenderiam sequer uma palavra dita acima, de qualquer maneira.

    Anti-abraços!

    P.S.: Faltou um “c” em “exelentes”, mas vamos deixar pra você descobrir onde ele entra. E fazer isso, provavelmente, vai ser mais divertido do que assistir ao filme… 🙂

  6. Achei o filme extremamente preso a um visual anos 60/70 em tentativa pela psicodelia a e saturação das cores, ficou extremamente preso e forçando a uma nostalgia, so que nao agradou nem ao publico que acompanhou a serie na epoca que esta fez grande sucesso e tb não cativou quem não conhecia por fim, muito aquem do que eu esperava para os responsaveis de matrix, por fim nem pra criança nem para adulto, alias parecia mais um versão longa metragem do video-clipe da musica yellow submarine sendo rebobinada em alta velocidade…

  7. Vcs estão esquecendo que é um filme para crianças. É como um desenho animado. Aliás, é mais como um vídeo game. Pessoalmente eu jamais pagaria para ver um filme assim.

  8. E, Muniz, dizer que o estilo de Sin City “não funcionou”, é dose, hein!! Vai me desculpar mas, não concordo mesmo!

  9. Mau,
    Eu, Mucinho, um dos tontos da tal crítica em áudio – e que ousei dizer que o filme não é assim tão ruim… não do jeito que eu achava que seria -, lendo aqui oc comentários, acrescento:
    1- o Luiz Estrella tem razão: não é filme de criança e não é filme de adulto; foi uma tentativa de conceito que, grosso modo, não funcionou, mas que não deve ser abandonado (tomara que outros filmes, dos diretores ou não, voltem a trabalhar com esta estética); a Corrida Maluca foi uma ótima idéia do Vagno…
    2- “Quem fez o filme não merecia essas porcarias de comentários negativos” disse, em resumo, o Vito Fiscale; bom, a gente que faz este “trabalho” de comentar, que “damos duro” analisando obras de arte, não merecíamos ouvir tanta bobagem assim também, né? Pois é, os críticos não gostam de nada, mas gosto de você; vem cá, nego, que eu vou te dar um beijo.
    3- Marcelo Brandão tá com a razão: a estética Sin City funcionou, sim senhor! Se vc ficou enjoadinho no meio da projeção, azar seu, meu VELHO amigo Muniz.

  10. bom… goste quem gostar… mas sinceramente… me vi diante do anime japones em telona com atores reais… extremamente nostalgico… sim pq nao?… das muitas crianças na sala de cinema q eu vi… nenhuma entendia nada… mas os velhos… os velhos… e os q acompanharam o tal speed… quando mais novos… via eles… empolgados… viajando na batata do filme… muitos flash backs? eles me faziam pensar… caraio… isso é o desenho do speed e nao um filme…. goste quem gosto… e quem nao gosto nao gosto… so sei q chorei no filme… tamanha nostalgia…. e eu e mais dois amigos meus q vimo os filme… vamos hj ve-lo novamente… abraço…. e quem nao gosta de critica na trabalha correto?… concordo com a critica q vcs fizeram… mas fazer oq… me sinto vendo meu anime de criança novamente… fui

  11. Concordo com alguns pontos da crítica, principalmente qndo se fala em “entender” o que aconteceu. Realmente, poderiam ter usado mais o slow motion pra deixar as cenas mais claras para o publico.

    No entanto, eu amei o filme. Tive vontade de chorar, tamanha emocao ao ver os personagens na tela. Ver o Mach 6 pulando e ouvindo as molinhas foi demais! Esse eh o tpo de filme que eu voltaria pra ver no cinema e, certamente, qndo sair em DVD, comprarei uma versao pra mim.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s